Marca do Crea-AC para impressão
Disponível em <https://creaac.org.br/coordenadoria_eletrica_planeja_operacaosolaris/>.
Acesso em 18/10/2021 às 04h31.

Coordenadoria de Elétrica planeja Operação Solaris

Na tarde dessa segunda-feira (09), a Coordenação Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Elétrica (CCEEE) reuniu-se com os representantes dos Creas do Maranhão, Tocantins, Piauí, Bahia, Alagoas e Pará para discutir a Operação Solaris, que tem como objetivo fiscalizar a energia fotovoltaica nestes estados.

10 de agosto de 2021, às 8h10 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) divulgaram um gráfico no qual mostra que sistemas fotovoltaicos estão, majoritariamente, instalados nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste do Brasil. De acordo com o gráfico, os seis estados que terão essa fiscalização representam cerca de 12% da geração distribuída. Segundo o coordenador da CCEEE, eng. eletric. Rogerio Moreira Lima, a fiscalização preventiva da geração distribuída é imprescindível. “É uma operação mais complexa, mas pretendemos colocá-la em prática ainda neste ano. Com esse tipo de coordenação interestadual conseguimos ter mais agilidade junto às coordenadorias nos Creas”, disse Lima.

Também participaram da reunião a gerente de Fiscalização do Crea-TO, eng. civ. Viviane Riveros;  o coordenador da CEEE no Crea-PA, eng. eletric. Mario Couto; o coordenador adjunto CEEE do Crea-AL, eng. eletric. Vagner Paiva; o coordenador da CEEE/Crea-BA, eng. eletric. Miguel Fábio Lôbo e Silva; o técnico de Fiscalização da sede Salvador Crea-BA, Alisson Teles;  o técnico de Fiscalização da sede Salvador Crea-BA, Diógenes Neves; o fiscal da inspetoria de Irecê do Crea-BA, Antonio Gama; o supervisor Norte da Fiscalização da  Inspetoria Paulo Afonso no Crea-BA, Aldijan Dias;  o coordenador adjunto da CEEE no Crea-PI, eng. eletric. Gabriel Júnior; e o superintendente de Fiscalização do Crea-MA, eng.mec. Wesley Assis.

Energia Fotovoltaica nos estados 

Portal Solar apresenta números sobre a energia solar no país em que a Bahia aparece como um dos estados mais engajados na geração de energia solar, principalmente nos municípios de Tabocas do Brejo Velho, Bom Jesus da Lapa, Juazeiro, Salvador, Guanambi e Itaguaçu da Bahia. De acordo com a Aneel e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia, o panorama de energia solar no estado conta com 25% dos parques solares do Brasil, tornando-se líder nacional em geração de energia solar no País.

Já o Maranhão ocupa a 16ª posição do ranking estadual de Geração Distribuída, estruturado pela Aneel e Absolar. Além disso, por estar situado a dois graus da linha do Equador, o estado possui uma alta taxa de incidência solar, o que contribui diretamente para a eficiência dos painéis solares instalados na região.

O Piauí vive um crescimento exponencial na instalação de usinas fotovoltaicas, há cerca de quatro anos, sendo referência para o resto do país. Segundo a Absolar, o estado é uma liderança em relação à potência instalada na geração centralizada, incluindo operação, construção e os projetos oriundos de leilões. O estado sedia a maior usina fotovoltaica em da América do Sul, localizada no município de São Gonçalo do Gurgueia, que tem um parque composto por 2,2 milhões de painéis solares.

O estado de Alagoas está na 22ª colocação do ranking de geração distribuída solar fotovoltaica com 34,2 MW de potência – o que representa 0,7% da capacidade instalada no Brasil.

Ainda segundo o Portal Solar, Palmas (TO) recebeu mais de R$ 2,5 milhões em investimentos nos últimos dois anos em serviços e projetos de geração de energia solar fotovoltaica por meio do Programa Palmas  Solar. O valor é referente a investimentos realizados por comerciantes e moradores da capital que entraram para o Programa que incentiva o uso e geração de energia solar, além dos incentivos fiscais para os que têm interesse na fonte de energia sustentável.


Chat
Estamos online das 7:30h às 13:30h!